MPF dá parecer favorável a Lula em recurso que pede a suspeição de Moro

                                                                         
A subprocuradora-geral da República, Aurea Maria Etelvina Nogueira Lustosa Pierre, enviou ao STJ (Supremo Tribunal de Justiça) na última segunda-feira (18) um pedido de suspeição do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e responsável pelos julgamentos da Lava Jato na primeira instância.

O pedido acatado pela subprocuradora foi solicitado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após a condenação do petista a 9 anos e 6 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá (SP) em julho.

O pedido de suspeição feito por Aurea foi baseado em nove critérios relacionados por ela para afastar o responsável pelas investigações da Operação Lava Jato em primeira instância do caso envolvendo o ex-presidente.

De acordo com a subprocuradora, Moro perdeu a "imparcialidade necessária" ao julgar o petista. Ela também cita que o juiz "participa de inúmeros eventos com o claro objetivo de promoção pessoal em decorrência de processo que está sob sua jurisdição".

No documento enviado ao STJ, Aurea acrescentou a foto em que o magistrado aparece ao lado do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e destaca que Moro posou e "distribuiu sorriso" ao lado de diversos políticos opositores de Lula.

Veja os nove motivos que motivaram o pedido de suspeição:

1- Linguagem de certeza de condenação no recebimento da denúncia referente ao triplex do Guarujá;
2 – Esclarecimento sobre a Denúncia apresentada pelo MPF – quanto à individualização da responsabilidade - na mesma denúncia;
3- Evento do dia 6 de dezembro de 2016 no qual posa ao lado de opositores de Lula;
4 – Defesa do magistrado na queixa–crime apresentada;
5- Vídeo do magistrado com membros do órgão de acusação publicado nas redes sociais;
6- Apresentação de informações ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, referente à comunicação do Agravante;
7- A audiência permitido o tratamento indevido com o ex-presidente;
8- Provocações feitas por Moro ao advogado de Lula após audiência, fora da gravação, e;
9- Inquirição de Testemunhas com potencial de prejudicar o ex-presidente.