Lava Jato começa a investigar filme 'Lula, o filho do Brasil'



Com orçamento de cerca de R$ 12 milhões, o filme Lula, o Filho do Brasil (2010) está sendo investigado pela Lava Jato. A operação comandada pela Polícia Federal examina o envolvimento ilícito de três empreiteiras no financiamento da cinebiografia: Odebrecht, OAS e Camargo Corrêa. Segundo o Estadão, o processo de apuração de fatos relacionado ao longa foi iniciado após uma série de emails sobre o tema terem sido encontrados no computador do empreiteiro Marcelo Odebrecht.

A partir da troca de mensagens e do depoimento de Odebrecht foi concluído que houve pagamentos à produtora do filme de forma não oficial. "Aparentemente os pagamentos não estavam vinculados diretamente ao filme, ou seja, o nome da empresa não apareceria como uma das financiadoras do projeto. [...] Odebrecht acredita que a doação para o filme fazia parte da agenda mais geral da Odebrecht com PT/Lula, ou, por exemplo, de uma ‘conta corrente geral/relacionamento’ que Emílio [Odebrecht] poderia manter com Lula", consta a declaração do empreiteiro.






O ex-ministro Palocci foi convocado para prestar depoimento no dia 11 de dezembro, e foi questionado sobre a suposta relação que ele teria com a produção do filme. O político disse que "deseja colaborar na elucidação de tais fatos", mas que naquele momento ficaria em silêncio, de acordo com informações do Estadão.

O filme, baseado no livro homônimo da jornalista Denise Paraná, custou cerca de R$ 12 milhões. Mais recente, outro filme brasileiro, "Polícia Federal, a Lei é Para Todos", custou R$ 15 milhões, por exemplo.